Emater-DF e Serpro assinam acordo de cooperação técnica

 

A Emater-DF e o Serpro assinaram, na AgroBrasília, um acordo de cooperação técnica para implementação de um aplicativo que indica o momento e a quantidade ideal de água a ser utilizada em sistemas de irrigação.

O diretor do Serpro Antonino Santos Guerra disse que a empresa tem mais de 2 mil sistemas tecnológicos em uso no governo mas só agora faz sua estreia no setor rural. “Somos a maior empresa de TI do mundo e não estávamos no setor de agricultura”, afirmou.

A presidente da Emater, Denise Fonseca, afirmou que o sistema vai permitir aos produtores rurais economia de água e aumento de produtividade pelo melhor manejo de irrigação. “Nós passamos por uma crise hídrica no DF e sabemos o quanto é importante ter um controle de irrigação e o quanto é importante levar tecnologia ao campo”, afirmou Denise.

O diretor-executivo da Emater, Antonio Dantas, também lembrou a crise hídrica que afetou o Distrito Federal nos últimos anos para destacar a importância do aplicativo. “Nós sabemos que o agricultor só será viável se tiver tecnologias à disposição. O agricultor teve prejuízo financeiro na crise hídrica. Acreditamos que esse é um passo para equilibrar as demandas de água, de energia elétrica e de irrigação na área rural, e pela capilaridade do Serpro, essa tecnologia poderá ser replicada em todos os cantos do país, principalmente na região Nordeste onde a questão hídrica é muito mais séria”, afirmou.

O secretário de Agricultura, Dilson Resende, afirmou que a tecnologia permitirá um aumento de produtividade. “Temos que cuidar do meio ambiente e reduzir o impacto ao nosso planeta. Temos que aumentar a produtividade, aproveitar melhor o nosso campo, produzir mais em menos terra, e a tecnologia vai ajudar nisso.”

O secretário destacou ainda a parceria entre o Serpro e a Emater, que integra o Sistema Agricultura junto com a Secretaria de Agricultura e a Ceasa, na busca de soluções para o país. “É um bom exemplo de uso de recursos públicos. É o que a sociedade quer”, declarou.

Sensores conectados — O sistema desenvolvido pelo Serpro permitirá ao produtor avaliar a necessidade de água para cada tipo de cultura e de temperatura e controlar a irrigação a partir do seu celular. Para isso, a plantação deve ser dotada de um sistema de sensores e o sistema estar conectado à internet.

O diretor do Serpro afirmou que pretende implantar os primeiros sistemas no Distrito Federal a partir de outubro. Se o projeto-piloto for bem-sucedido, ele poderá ser estendido para outras regiões.