Movidos pelo desejo de ajudar o próximo, cerca de 30 servidores da Emater-DF tiraram a manhã desta terça-feira (24) para doar sangue e ajudar a manter o estoque do banco de sangue do Hemocentro da capital do país. Milhares de pessoas pelo Brasil precisam de transfusão de sangue, um tecido vivo produzido pelo organismo humano, para sobreviver.

O movimento foi organizado pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), gestão 2018/2019, em abertura da Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat) da empresa. O transporte dos funcionários foi disponibilizado pelo próprio Hemocentro.

De acordo com a extensionista Giselle Beber Canini, engenheira agrônoma e integrante da Cipa na empresa, ao planejar a Sipat, uma das questões que surgiu foi a de que deveria ter uma ação de solidariedade. Foi então que Giselle e Cláudia Coelho, também integrante da Cipa, foram ao Hemocentro e fizeram o curso de multiplicador (onde são repassadas questões como a importância da doação e o caminho do sangue doado).

“Não existe nada que substitui o sangue e quando a gente faz esse curso eles explicam isso. Então, é muita gente que precisa desse gesto. Um ato simples e que pode ajudar muitas pessoas”, explica Giselle. “É um sentimento muito bom de poder fazer isso. É uma sensação incrível.”  

A presidente da Emater-DF, Denise Fonseca, o diretor-executivo, Antonio Dantas, e o secretário de Agricultura, Dilson Resende, parabenizaram a equipe pelo gesto altruísta na saída dos servidores da empresa para o Hemocentro. 

Quem precisa do sangue

O sangue doado, essencialmente, é utilizado em atendimentos de urgência, em casos de cirurgias de grande porte, traumatismos, sangramentos gastrintestinais e partos nos quais há necessidade de repor grandes perdas sanguíneas, além do tratamento de pessoas com doenças crônicas, como a Doença Falciforme e a Talassemia. Pacientes com câncer também recebem, frequentemente, transfusões de sangue.

Procure o Hemocentro, se informe sobre os critérios para doação e faça sua contribuição. O primeiro passo é procurar o posto de coleta mais próximo, como os hemocentros, o hemointo e o Serviço de Hemoterapia do Inca. Não há riscos para o doador. Nenhum material usado na coleta do sangue é reutilizado, eliminando qualquer possibilidade de contaminação. Uma única doação pode ajudar até quatro pessoas.